27 novembro 2013

Um dos textos mais lindos que já li.







“Deus, estou triste. Diversas vezes pensei em parar pra gente conversar, mas olha que irresponsabilidade a minha. Atropelo meu próprio tempo e não consigo cessar para desabar a quem realmente está completamente afim de me entender. Estou cansada e talvez te dizer isso seja muito egoísmo da minha parte. Imagino quantas orações de corações aflitos você deve arquivar por segundos e sei que o meu não é o caso mais grave aos olhos humanos. Mas ao Teus olhos Deus, imagino que não há primazias. Você é perfeito e não se atrapalha tanto quanto eu. O Senhor é especialista em dores, lágrimas, tristezas — o maior perito em corações humanos. E hoje, sou só sua criança pedindo colo. A impressão é de que faço tudo errado e afundada nesse mar de drama tudo passa a não fazer sentido. Não sei ser a melhor amiga para os meus amigos, a melhor filha que meus pais gostariam que eu fosse, talvez nem a melhor aluna da faculdade. Decepciono as pessoas que amo com a maior facilidade do mundo. Perco amores, perco estações, perco a hora para ir trabalhar. Não sei cuidar das flores na primavera, elas sempre murcham. No inverno, não me aqueço o suficiente. Passam os dias e no verão, nem eu mesma me suporto nesse mormaço. As folhas do outono sempre secam. Chego em casa afadigada, desabotôo os botões da camisa, respiro e nessa confusão de pensamentos, cogito que não há mais razões para um próximo amanhecer. E todas as novas manhãs você insiste em dizer que vale a pena. Deus, posso fazer um pedido? Cuida de mim? Cuida do meu coração também. Não me deixe sorrir por fora e desmoronar por dentro. Compreendo que eu sou desorganizada e desordenada, mas eu preciso tanto de você. Me deixa desabar no teu colo, quietinha.



Nenhum comentário:

Postar um comentário